BioGeogilde Weblog

Blog de apoio e complemento às aulas de Ciências Naturais, Biologia Geologia e Biologia

As Catástrofes 18 de Abril de 2012

Gentilmente cedido pela professora Ana Rita Lima

Anúncios
 

Afinal, terá sido o metano que causou a extinção da vida marinha 24 de Julho de 2011

A extinção de cerca de 90 por cento das espécies marinhas e de 70 por cento dos vertebrados ocorrida há 201 milhões de anos terá sido causada, não pelo incremento da actividade vulcânica, mas graças à libertação de uma enorme quantidade de metano na atmosfera, conclui um estudo publicado hoje na revista Science.

Um grupo de investigadores coordenado por Micha Ruhl, da Universidade de Utrecht, na Holanda, defende que a destruição da vida marinha que aconteceu durante o período geológico, altura em que se deu a fragmentação da Pangeia – e que a comunidade científica atribui a alterações de clima – correspondeu antes à libertação de metano para a atmosfera, seguida de uma alteração climática.

Até agora, os estudos apontavam a actividade vulcânica como a causa das alterações de clima que levaram à extinção maciça de espécies marinhas. Teoria que é posta, agora, em questão. De acordo com os investigadores, a libertação de toneladas de metano – um hidrocarboneto em forma de gás incolor – aconteceu durante dez mil a 20 mil anos, durante a extinção da vida marinha no final do período Triásico. (more…)

 

Filmagem espectacular do vulcão Eyjafjoell da Islândia 21 de Abril de 2010

REYKJAVIK (Reuters) – A nuvem de cinzas expelida pelo vulcão islandês está a uma altitude mais baixa, um bom sinal para os viajantes, mas as condições continuam incertas porque ventos fortes nas altitudes maiores ainda movimentam as cinzas, informaram autoridades nesta terça-feira.

O vulcão, localizado sob o glaciar de Eyjafjallajokull, a cerca de 12 quilómetros a sudeste da capital islandesa Reykjavik, está em erupção há mais de uma semana. Há temores de que a erupção poderia despertar o vulcão vizinho, Katla, ainda maior, mas especialistas disseram que nenhuma actividade foi detectada até agora. (more…)

 

Cientistas reúnem-se nos Açores para falar de vulcões 14 de Abril de 2009

acores1Os Açores acolhem este ano dois eventos internacionais sobre vulcanologia e sismicidade, que vai reunir cientistas internacionais, num arquipélago considerado pelos estudiosos «um laboratório vivo» naquelas duas áreas.

Zilda França, do departamento de Geociências da Universidade dos Açores, adiantou à agência Lusa que o primeiro evento, no âmbito da geoquímica, ocorre entre 11 a 15 de Maio, nas ilhas do Pico e Faial.

A Penrose Conference, realizada anualmente em vários países, traz até ao arquipélago açoriano cientistas da Alemanha, Portugal, América, Malásia, Itália, França, Espanha e Suíça, considerados «o topo da geoquímica mundial».

Segundo Zilda França, é «um evento muito importante», que se vai debruçar sobre a existência de plumas mantélicas (um material que existe no interior da terra em profundidade), responsáveis pelo vulcanismo de determinadas regiões.

«Pensa-se que todo o vulcanismo do arquipélago resulta da existência de uma pluma», salientou Zilda França, uma das cinco organizadores do evento, com o aval da Geological Society of América.

Em Setembro, a ilha do Pico volta a receber um evento internacional «de renome», que vai abordar «a interacção entre a actividade vulcânica e tectónica e implicações para as previsões», numa organização da IASPEI.

Essa associação internacional debruça-se sobre aspectos físicos da terra e este ano reúne peritos da Comissão Sismológica Internacional, no Pico.

Entre 14 a 20 de Setembro, os cientistas internacionais vão abordar a experiência dos Açores, «um laboratório vivo» no campo da vulcanolocia e sismicidade, e estudar os casos do Hawai e América do Sul.

Evidenciando a «alta» sismicidade e o vulcanismo «activo» do arquipélago açoriano, Zilda França disse à Lusa que os Açores têm uma «situação privilegiada», por estarem situados numa zona de confluência de três placas tectónicas (a americana, a euro-asiática e a africana ou núbia).

                                                                                                      14 de Abril de 2009 In Diário Digital / Lusa