BioGeogilde Weblog

Blog de apoio e complemento às aulas de Ciências Naturais, Biologia Geologia e Biologia

Cientistas conseguem inverter relógio celular 14 de Março de 2011

Técnicas de rejuvenescimento não precisam de células embrionárias.

Uma equipa de investigadores da Universidade Central de Taiwan obteve um importante avanço científico em relação a técnicas de rejuvenescimento celular. Os cientistas inverteram o relógio celular com a injecção de genes.

O grupo de trabalho da universidade e do Hospital Geral Cathay injectaram quatro genes (Out4, Sox2, Klf4 e c-Myc) em células maduras – consideradas “a chave da vida”, segundo um dos investigadores do Hospital de Cathay, Ling Qingdong. A medida permitiu que o relógio celular regredisse e voltasse ao início, a um estado semelhante ao da fertilização.

A técnica não exige a injecção dos genes em vírus, o que evita a contaminação, e não necessita de células embrionárias, acrescentou Ling. As experiências tiveram êxito de 0,3 a um por cento – o que significa que ainda é necessário fazer muita mais investigação antes de serem aplicadas em técnicas de rejuvenescimento, disse o professor Akon Higuchi, da Universidade Central de Taiwan. (more…)

 

Terapia Genética contra o HIV dá resulatados promissores 5 de Março de 2011

Um novo tratamento que bloqueia um gene específico das células atacadas pelo vírus da sida – o HIV – deu resultados promissores, notícia a revista Nature.

O HIV ataca células específicas do sistema imunitário – os linfócitos T CD4, matando-os progressivamente. O vírus entra nestas células e utiliza a sua maquinaria para se replicar. Uma das portas mais importantes de entrada do vírus é uma proteína que se encontra na membrana das células, chamada CCR5.

Os cientistas sabem que há pessoas resistentes ao vírus da sida porque têm uma mutação no gene que codifica a proteína CCR5. Inspirada nesta mutação natural, uma equipa de cientistas resolveu utilizar a terapia genética para bloquear a actividade da CCR5 e impedir o vírus de entrar nas células. (more…)

 

Sistema Imunitário I 7 de Janeiro de 2011

Filed under: 12º Ano — Prof. Cristina Vitória @ 14:00
Tags: , , , , , ,

Serve este post para disponibilizar uma apresentação sobre os conteúdos abordados nas aulas de Biologia de 12º Ano.

Estes conteúdos estão directamente relacionados com o tema “Sistema Imunitário I”.

Pode obtê-la aqui: imunidade_doencas_constituintes

Fonte: Cientic

 

A Espécie Conhecida com mais ADN é uma Planta Japonesa 8 de Outubro de 2010

A Paris japonica é uma planta para o jardineiro paciente. Para obter um exemplar com 80 centímetros, é preciso um ambiente húmido, sem sol directo, com muitos nutrientes e uma paciência de santo – depois de plantada, o caule pode demorar até quatro anos a despontar. A planta é exigente e isso pode estar associado aos 152,23 picogramas (um picograma é um bilionésimo de um grama) de ADN que cada célula tem. Uma quantidade enorme, 50 vezes maior do que cada célula humana carrega, que é apenas de três picogramas.

“Algumas pessoas podem questionar-se que consequência tem um genoma tão grande e se realmente importa uma espécie ter mais ADN do que outra”, disse Ilia Leitch, investigadora do jardim de Londres Kew Gardens. “A resposta é um ‘sim’ – um grande genoma aumenta o risco de extinção”, disse. (more…)

 

Foi identificada uma nova variante do HIV 4 de Agosto de 2009

Filed under: 9ºB,Notícias da Ciência — Prof. Cristina Vitória @ 17:23
Tags: , , , , , ,

AbraçoAnúncio na “Nature Genetics”

Foi identificada uma nova variante do vírus da sida de tipo 1 (HIV-1), foi anunciado ontem na revista “Nature Genetics”. Entre os dois tipos de vírus da sida, a maioria dos casos de infecção deve-se ao HIV-1. Este, por sua vez, está subdividido em três grupos: M (na origem da pandemia) e O e N (muito raros).

Agora, a equipa de Jean-Christophe Plantier, do Centro Nacional de Referência do Vírus da Imunodeficiência Humana de França, identificou um novo grupo no HIV-1 numa doente originária dos Camarões.

Designaram-no por P e dizem que se aproxima geneticamente do vírus da imunodeficiência dos gorilas, descoberto há pouco tempo. O HIV-1 é oriundo do vírus da imunodeficiência dos chimpanzés, embora também se suspeite agora que o grupo N teve origem no vírus dos gorilas.

03.08.2009 –  PÚBLICO

 

Estudo: Alguns vírus cancerígenos mudam geneticamente 11 de Fevereiro de 2009

Filed under: Notícias da Ciência — Prof. Cristina Vitória @ 14:10
Tags: , , , , , , , ,
Os vírus causadores de alguns cancros modificam o seu material genético para enganar as defesas do organismo, sustenta um estudo espanhol publicado na revista Genome Research.

Estas alterações epigenéticas também podem estar presentes nos vírus como o da sida ou o da gripe, assinala o estudo.

O objectivo da investigação é esclarecer porque é que algumas pessoas portadoras de virus oncogénicos os eliminam, outras progridem para uma infecção e outros portadores acabam por desenvolver um tumor canceroso, e ainda ver que modificações no genoma estão implicadas neste processo.

Para o estudo fez-se uma mapa completo da metilação do ADN, um tipo específico de modificação química do material genético a partir de vários tipos de vírus relacionados com tumores, no que é a primeira análise completa que se faz do epigenoma de um ser vivo completo, como é um vírus.

O estado de metilação de alguns genes pode ser usado como um marcador do desenvolvimento dos tumores e para decifrar as complexas regras que determinam que tipo de genes podem ser metilados (alterados) durante a génese de um tipo de cancro, o que pode ser muito útil para se fazer um diagnóstico precoce.

Ao comparar o metiloma em portadores assintomáticos do vírus, em pacientes com uma infecção activa e em pacientes que estão a desenvolver um cancro, os investigadores viram que nos primeiros não está metilado, que ao desenvolver-se uma infecção começa a metilar, e que ao ter um tumor, o genoma do vírus está muito metilado.

Perante estes resultados, concluíram que a metilação é um mecanismo que usa o vírus para esconder-se do organismo, o que lhe permite perpetuar-se nas células.
                                                                                                                In Diário Digital a terça-feira, 10 de Fevereiro de 2009