BioGeogilde Weblog

Blog de apoio e complemento às aulas de Ciências Naturais, Biologia Geologia e Biologia

Transporte no floema: hipótese do fluxo de massa 7 de Maio de 2009

A hipótese de fluxo de massa ou fluxo de pressão é uma das mais aceites relativamente ao transporte floémico. Esta hipótese admite que a translocação floémica ocorre graças a um gradiente nas concentrações de sacarose. Este gradiente é estabelecido entre uma fonte (região da planta onde a sacarose entra no floema) e o local de consumo (região da planta onde a sacarose sai do floema).

Hipótese de fluxo de massa – Modelo que explica a deslocação da seiva nos vasos condutores, proposto por Ernst Münch em 1927. De acordo com esta hipótese, a sacarose desloca-se através dos vasos crivosos desde as fontes de produção, folhas e órgãos de reserva, no período da utilização das reservas, até aos locais de utilização que são os tecidos ou órgãos em formação ou crescimento, e os órgãos de reserva durante a fase de acumulação de reservas.

Translocação – Movimento de minerais e outros compostos químicos no interior da planta. Ocorrem dois processos básicos. O primeiro consiste na absorção de minerais solúveis do solo e no seu transporte através da raiz, para depois serem conduzidos a outros órgãos por vasos condutores de água. O segundo consiste no transporte das substâncias orgânicas sintetizadas nas folhas a outros órgãos, especialmente àqueles situados em zonas de crescimento.

 

teoriafluxomassa3Hipótese do fluxo de massa:

1- A glicose elaborada nos órgãos fotossintéticos é convertida em sacarose.
2- A sacarose passa para o floema por transporte activo.
3- O aumento da concentração de sacarose nas células dos tubos crivosos provoca uma entrada de água nestas células, que ficam túrgidas.
4- A pressão de turgescência (pressão que o conteúdo de uma célula exerce sobre a parede celular quando a célula fica túrgida) faz com que a solução atravesse as placas crivosas.
5- Há, assim, um movimento das regiões de alta pressão para as regiões de baixa pressão.
6- A sacarose é retirada do floema para os locais de consumo ou de reserva por transporte activo (onde é convertida em glicose que pode ser utilizada na respiração ou polimerizar-se em amido, que fica em reserva).
7- O aumento da concentração de sacarose nas células envolventes provoca uma saída de água dos tubos crivosos, diminuindo a pressão de turgescência.

Anúncios
 

Absorção de água e solutos pela planta 5 de Maio de 2009

A maior parte da água e de solutos necessários à planta são absorvidos pela epiderme e, particularmente, pelos pêlos absorventes da raiz. Posteriormente, e através de um transporte célula a célula, a água atingirá os tecidos vasculares.

Absorção de água e solutos pela planta:
simplasto_apoplasto_1

A eficiência da captação de água pela raiz deve-se aos pêlos radiculares (extensões das células epidérmicas que aumentam muito a área de absorção.
Os iões presentes na solução do solo em concentração elevada entram nas células da raíz por difusão simples.

Podem entrar iões contra o gradiente de concentração por transporte activo.

A água entra por osmose.

O transporte activo de iões, célula a célula, faz também com que a água passe, por osmose, até ao xilema.

A água e os iões, uma vez chegados ao xilema, constituem a seiva bruta ou seiva xilémica.

 

Membrana Plasmática 16 de Março de 2009