BioGeogilde Weblog

Blog de apoio e complemento às aulas de Ciências Naturais, Biologia Geologia e Biologia

Cancro do pâncreas começa pelo menos dez anos antes de ser detectado 28 de Outubro de 2010

Se fosse possível detectar o tumor mais cedo, poderia ser extraído, como se faz com os pólipos do cólon.

O cancro do pâncreas, um dos mais letais, mata não porque comece a espalhar-se pelo organismo rapidamente, mas sim porque só causa sintomas quando já está muito avançado. A primeira mutação genética que dá origem ao cancro pode ter surgido até 11,7 anos antes – seria muito tempo para agir, se os cientistas conseguissem descobrir as lesões cedo.

A equipa de Bert Vogelstein, da Universidade of Johns Hopkins, em Baltimore (EUA) dizia ontem em dois artigos na revista científica Nature que, quando surgem as primeiras lesões, o tumor poderia ser removido – como se faz com os pólipos do cólon. Mas, para isso, seria preciso detectar o cancro numa fase inicial.

A equipa, que inclui investigadores britânicos, do Instituto Wellcome Trust Sanger e da Universidade de Cambridge, usou amostras de tecidos de tumores para, aplicando as modernas técnicas da genómica, descobrir quais as taxas de mutação dos genes das células cancerosas. Segundo os cientistas, são precisos, em média, sete anos para se formar um tumor do tamanho de uma ameixa. (more…)

 

Células da Pele Transformadas em Neurónios directamente 1 de Fevereiro de 2010

Transformar directamente células normais da pele de ratinhos em neurónios, sem ser preciso passar pela fase de células estaminais, foi o que uma equipa de cientistas a trabalhar na Califórnia relata ter conseguido fazer na edição de hoje da revista científica “Nature”.

Este método tem o potencial de acelerar e facilitar a medicina regenerativa, evitando uma fase crucial, em que as células estaminais podem dar origem a tumores — o lado negro destas células, que são a maior aposta da biomedicina. “Este estudo é um grande passo em frente”, comentou Irving Weissman, director do Instituto de Biologia das Células Estaminais e Medicina Regenerativa da Universidade de Stanford (EUA), uma das instituições que participou e detém a patente do trabalho.

Por ora, foi testado apenas com ratinhos, mas os cientistas acreditam que este resultado deverá ser replicável em células humanas, para dar origem a tratamentos para doenças que afectam não só as células nervosas, mas também outros órgãos, como fígados ou pâncreas. (more…)