BioGeogilde Weblog

Blog de apoio e complemento às aulas de Ciências Naturais, Biologia Geologia e Biologia

Transporte no floema – experiências com afídios 7 de Maio de 2009

Filed under: Uncategorized — Prof. Cristina Vitória @ 22:14
Tags: , , , ,

Durante muito tempo não foi possível analisar a constituição da seiva floémica, pois as células vivas do floema são muito frágeis e o processo de transporte que nelas ocorre é facilmente perturbado ou interrompido quando esta se pretende extrair com micropipetas ou outros instrumentos exteriores.

Os estudos iniciais sobre a constituição da seiva floémica foram realizados com a ajuda de pequenos afídios, (pulgões).

Na década de 50 do século XX, experiências realizadas com afídios (pulgões) permitiram um melhor conhecimento dessa seiva.

Quando um afídio atinge o floema, a pressão da seiva floémica força-a a sair da planta e a entrar no tubo digestivo do animal.

formiga_ordenhaPor vezes a pressão é tão grande que a seiva elaborada é forçada a sair pelo ânus.

ant_receives_honeydew_from_aphid

Se um afídio que está a alimentar-se (absorvendo o conteúdo do floema) for cortado pelo estilete, a seiva floémica exsuda através deste, sob pressão, durante alguns dias, podendo ser estudada.

Esta experiência possibilitou o conhecimento directo seiva floémica.
Afídios – Pequenos insectos himenópteros, de abdómen anelado, parasitas de várias plantas, de cujos sucos se alimenta, e que pertencem especialmente à família dos Afidídeos.

Anúncios
 

Sistema de transporte das plantas vasculares : o xilema e o floema 26 de Abril de 2009

Filed under: Uncategorized — Prof. Cristina Vitória @ 16:34
Tags: , , , , , , , ,

xilema_floema_1Xilema – Também designado por lenho ou tecido traqueano, especializado na condução de água e sais minerais desde a raiz até aos restantes órgãos das plantas, transporta a seiva xilémica ou seiva bruta (água e sais minerais) e é constituído por quatro tipos de células:
Elementos de vaso: células mortas com espessamentos nas paredes laterais de lenhina, o que lhes confere rigidez. A sua principal função é a condução de água e sais minerais.
Traqueídos: distinguem-se dos anteriores por possuírem perfurações.
Fibras lenhosas: células mortas muito longas e com paredes espessas. Têm função de transporte.
Parênquima lenhoso: constituído por células vivas de paredes celulares finas. Têm função de reserva.

Floema – Também designado por líber ou tecido crivoso é especializado no transporte de água e de substâncias orgânicas, resultantes da fotossíntese, desde as folhas até aos outros órgãos das plantas. Transporta a seiva floémica ou seiva elaborada (água, sais minerais e compostos orgânicos) e é constituído por quatro tipos de células:
Células do tubo crivoso: células vivas muito especializadas que se ligam-se entre si topo a topo, e cujas paredes transversais, com orifícios, constituem as placas crivosas. A principal função é a condução de água e substâncias orgânicas.
Células de companhia: células vivas que se situam perto das células dos tubos crivosos, com as quais estabelecem ligações citoplasmáticas.
Fibras liberinas: constituídas por células mortas com paredes espessas. A sua principal função é a de suporte.
Parênquima liberino: constituído por células vivas de paredes finas pouco diferenciadas. A sua função é de reserva.

 

Sistema de transporte das plantas vasculares 24 de Abril de 2009

Filed under: Uncategorized — Prof. Cristina Vitória @ 15:03
Tags: , , , , , ,

seivas_circulacao_11As plantas vasculares desenvolveram não só um sistema radicular que lhes permite absorver do exterior água e sais minerais, mas também um sistema condutor formado por dois tipos de vasos – o xilema, que transporta essencialmente água e sais minerais e o floema, que transporta água, compostos orgânicos e sais minerais.