BioGeogilde Weblog

Blog de apoio e complemento às aulas de Ciências Naturais, Biologia Geologia e Biologia

Toda a costa portuguesa está exposta a tsunamis 20 de Abril de 2012

O antigo reitor da Universidade de Coimbra Fernando Rebelo defendeu hoje que toda a costa portuguesa está sujeita ao risco de tsunami, e não apenas a sul de Peniche, como consta no Mapa Oficial de Riscos.

O académico falava em Aveiro, no Instituto Superior de Ciências da Informação e da Administração, sobre o tema «O Litoral e riscos naturais», no VII Encontro Nacional de Riscos e I Fórum sobre Riscos e Segurança, em que teceu várias críticas ao Mapa Oficial de Riscos, publicado em 2006, em anexo ao Plano Nacional da Política de Ordenamento do Território.

Embora reconhecendo que o risco é maior na costa alentejana e no Algarve, o geógrafo considerou que “um mapa de riscos de tsunami tem de ser bem pensado para Portugal” e salientou que, de acordo com dados históricos, o tsunami que se seguiu ao terramoto de 1755 teve efeitos conhecidos na Irlanda e a norte de Londres, ou mesmo na Suécia, para concluir que “o risco de tsunami está em toda a costa portuguesa”.Referiu também um artigo publicado por um grupo de geógrafos franceses que visitou Portugal e no qual estes especialistas defendem que todas as praias portuguesas devem muito ao tsunami que se seguiu ao terramoto de 1755, que terá arrastado muita areia do fundo [do mar] para as praias. (more…)
Anúncios
 

Portugueses estudam antibiótico encontrado em bactéria dos Açores 22 de Junho de 2011

Uma equipa de cientistas portugueses conseguiu pela primeira vez produzir mais facilmente uma classe de antibióticos, os chamados lantibióticos. Fez isso com uma substância de um bacilo encontrado nos Açores, esta molécula combate bactérias resistentes.

As fontes hidrotermais dos Açores foram o início da história que terminou este ano, com a publicação de um artigo na revista Chemistry & Biology. Foram nestas fontes que Sónia Mendo, professora da Universidade de Aveiro e coordenadora do trabalho, encontrou em 2000 o Bacillus licheniformis, durante o seu doutoramento. “As fontes hidrotermais são habitats adversos em que vamos encontrar organismos com capacidades diferentes do habitual”, explicou Sónia Mendo ao PÚBLICO.

A investigadora descobriu que este bacilo produz a lichenicidina, uma substância que combate duas das bactérias hospitalares mais resistentes: o Staphylococcus aureus resistente à meticilina e Enterococcus resistente à vancomicina.

A lichenicidina é interessante porque é uma molécula que faz parte dos lantibióticos, uma das várias classes de antibióticos, que se distingue por ter na sua composição o aminoácido lantionina.

A molécula identificada nas fontes hidrotermais dos Açores é formada por duas cadeias de cerca de 30 aminoácidos cada. Deste modo, a lichenicidina causa dois efeitos diferentes nas bactérias: impede-as de produzir a parede celular que as envolve e causa buracos na membrana celular deses micróbios, destruindo-os. “Em vez de ter um alvo tem dois, para as bactérias é mais difícil desenvolver resistências.” (more…)

 

Especialistas de 12 países estudam influência da actividade téctonica e vulcânica na previsão de erupções 12 de Setembro de 2009

picoAçores

Cientistas de mais de uma dezena de países, incluindo alguns com vulcões muito activos, estão nos Açores para estudar a forma como a actividade tectónica e vulcânica pode influir nas previsões de erupções.

A Conferência Anual da Comissão Europeia de Sismologia vai decorrer durante a próxima semana no Convento de S. Pedro de Alcântara, no Pico, com a presença de 35 cientistas de 12 países.

“A presença de cientistas de países com vulcões altamente activos, com larga experiência na sua monitorização, é uma garantia da importância deste encontro”, salientou Zilda França, da Universidade dos Açores, em declarações à Lusa. (more…)

 

Cientistas reúnem-se nos Açores para falar de vulcões 14 de Abril de 2009

acores1Os Açores acolhem este ano dois eventos internacionais sobre vulcanologia e sismicidade, que vai reunir cientistas internacionais, num arquipélago considerado pelos estudiosos «um laboratório vivo» naquelas duas áreas.

Zilda França, do departamento de Geociências da Universidade dos Açores, adiantou à agência Lusa que o primeiro evento, no âmbito da geoquímica, ocorre entre 11 a 15 de Maio, nas ilhas do Pico e Faial.

A Penrose Conference, realizada anualmente em vários países, traz até ao arquipélago açoriano cientistas da Alemanha, Portugal, América, Malásia, Itália, França, Espanha e Suíça, considerados «o topo da geoquímica mundial».

Segundo Zilda França, é «um evento muito importante», que se vai debruçar sobre a existência de plumas mantélicas (um material que existe no interior da terra em profundidade), responsáveis pelo vulcanismo de determinadas regiões.

«Pensa-se que todo o vulcanismo do arquipélago resulta da existência de uma pluma», salientou Zilda França, uma das cinco organizadores do evento, com o aval da Geological Society of América.

Em Setembro, a ilha do Pico volta a receber um evento internacional «de renome», que vai abordar «a interacção entre a actividade vulcânica e tectónica e implicações para as previsões», numa organização da IASPEI.

Essa associação internacional debruça-se sobre aspectos físicos da terra e este ano reúne peritos da Comissão Sismológica Internacional, no Pico.

Entre 14 a 20 de Setembro, os cientistas internacionais vão abordar a experiência dos Açores, «um laboratório vivo» no campo da vulcanolocia e sismicidade, e estudar os casos do Hawai e América do Sul.

Evidenciando a «alta» sismicidade e o vulcanismo «activo» do arquipélago açoriano, Zilda França disse à Lusa que os Açores têm uma «situação privilegiada», por estarem situados numa zona de confluência de três placas tectónicas (a americana, a euro-asiática e a africana ou núbia).

                                                                                                      14 de Abril de 2009 In Diário Digital / Lusa