BioGeogilde Weblog

Blog de apoio e complemento às aulas de Ciências Naturais, Biologia Geologia e Biologia

A origem do café 14 de Abril de 2011

Filed under: Notícias da Ciência — Prof. Cristina Vitória @ 10:43
Tags: , , ,
Corre uma lenda sobre as origens do café, que data do século III d.C., e conta a história de Kaldi, um pastor de cabras, em que certa noite, quando as suas cabras não retornaram ao rebanho e saiu para procurá-las, encontrou-as próximas de um arbusto enquanto mastigavam os frutos dessa planta – o que lhes deu uma estranha energia.Vendo a alteração dos animais, decidiu experimentar e descobriu que o enchiam de energia. Kaldi decidiu levar o fruto para o mosteiro local, mas como as reacções não foram favoráveis, decidiu atear queimar os frutos. O aroma exalado pelos grãos torrados atraiu os monges até ao maravilhoso perfume.Posto isto, os grãos de café foram apanhados das cinzas e o abade mudou de ideia, acabando por sugerir que fossem esmagados na água para ver que tipo de infusão originaria. Os monges chegaram à conclusão que o preparado os mantinha acordados durante as rezas e períodos de meditação. Notícias dos maravilhosos poderes da bebida espalharam-se de um mosteiro a outro e, assim, aos poucos por todo mundo.

As evidências botânicas sugerem que a planta do café teve origem na Etiópia Central (onde ainda crescem vários milhares de pés acima do nível do mar). Ninguém parece saber exactamente quando o primeiro café foi tomado (ou em qualquer parte), mas os registos dizem que foi na sua terra nativa, em meados do século XV.

 
Bica ou cimbalino?
 
Em Lisboa, o termo tradicional para designar o ‘espresso’ é bica, um acrónimo que significa “Beber Isto Com Açúcar”. Quando começou a ser comercializado em Lisboa, no café “A Brasileira”, não agradou aos lisboetas e, por isso, foi criado o slogan. O termo teve tanto sucesso que acabou por manter-se até hoje. Por outro lado, no Porto é costume pedir um cimbalino, como referência a La Cimbali, a popular marca de máquinas de café.
 
Ciência Hoje 14/04/11
Anúncios
 

Dia mundial do café: A diferença entre o remédio e o veneno está na dose

Hoje é dia mundial da bebida psicoactiva mais consumida no globo – o café. Esta infusão é muito apreciada em Portugal, especialmente como prática social, e, quem tiver o hábito de tomar “uma bica” ou “um cimbalino” diariamente e não obtiver a sua dose de cafeína fica mesmo mal-humorado ou desmotivado para realizar as actividades habituais. Se demasiado café faz mal, na quantidade certa pode até ser terapêutico. Já diz a sabedoria popular que a diferença entre o remédio e o veneno está na dose.

Se a bebida for consumida moderadamente, apresenta uma acção antioxidante, actua no combate aos radicais livres e, consequentemente, diminui os riscos de desenvolvimento de doenças cardiovasculares e alguns tipos de cancro. No entanto, o excesso de café pode causar irritabilidade, ansiedade, inquietação, insónia, dores de cabeça, náusea e problemas gastro-intestinais, devido a sua acidez.

Uma equipa do Centro de Neurociências e Biologia Celular (CNC) de Coimbra afirma ter aberto uma nova linha de investigação centrada nas doenças do humor, na sequência dos seus estudos com café para tratamento de doenças do cérebro.

O grupo de investigadores, liderado por Rodrigo Cunha, que se dedica desde 2001 a estudar dos efeitos da cafeína nas doenças de memória, avança que pode mesmo vir a tratar as doenças do humor, nomeadamente depressões, um dos mais graves problemas de saúde das sociedades actuais, que afecta uma em cada quatro pessoas. (more…)