BioGeogilde Weblog

Blog de apoio e complemento às aulas de Ciências Naturais, Biologia Geologia e Biologia

Cientistas detectam nova forma biológica de produzir oxigénio 30 de Março de 2010

Até agora eram conhecidos três formas biológicas de se produzir oxigénio: a fotossíntese e outros dois regimes em que as células produzem oxigénio, normalmente para o seu próprio uso interno, recorrendo a enzimas que quebram substâncias que contenham oxigénio, como os cloratos.

Porém, recentemente foi descoberta uma bactéria capaz de produzir oxigénio através de um novo truque metabólico que lhe permite consumir o metano encontrado em sedimentos pobres em oxigénio, anuncia a “Science”.

Esta nova via  proporciona outras possibilidades para a compreensão de como e onde o oxigénio pode ser criado, sendo que, de acordo com Ronald Oremland, um geomicrobiologista americano que não está envolvido neste estudo, estes resultados poderão mesmo ter implicações na criação de oxigénio noutras partes do sistema solar.

Katharina Ettwig, microbiologista da Radboud University Nijmegen (Holanda), e a sua equipa estudaram bactérias localizadas em sedimentos pobres em oxigénio, retirados de canais e valas de drenagem perto de zonas agrícolas na Holanda.  Descobriram assim que, em alguns casos, estes organismos, que foram apelidados de Methylomirabilis oxyfera, conseguiam consumir metano, um processo que requer oxigénio, apesar da escassez deste elemento químico no seu ambiente.

Embora os investigadores tenham decifrado a sequência genética completa do genoma desta bactéria, ainda não sabem qual a enzima que leva à reacção que produz oxigénio. “É como procurar uma agulha num palheiro”, refere Ettwig, acrescentando que “estas células produzem centenas de proteínas desconhecidas e todas elas são candidatas”.

O próximo passo que estes cientistas pretendem dar é isolar a enzima ou as enzimas que possibilitam a produção de oxigénio e explicar o seu funcionamento, pois ao produzirem o seu próprio oxigénio, as bactérias podem tirar proveito de um método de energia muito mais eficiente ao consumir metano, pelo que podem crescer e proliferar mais rapidamente.

Não é claro ainda se esta nova forma de produção de oxigénio é uma adaptação biológica recente ou se é antiga e surgiu quando a atmosfera da Terra era rica em metano e pobre em oxigénio.

 Ciência Hoje 25/03/10